Notícias do setor

Vans, Timberland e Kipling entre as marcas que anunciaram que deixarão de usar couro brasileiro para proteger a Amazônia

Novas reações para apoiar a proteção do "pulmão do planeta" aumentam a doação milionária da LVMH e as publicações de celebridades que pedem ação. Agora, foi uma importante fabricante de roupas e calçados que decidiu parar de comprar couro do Brasil até ter certeza de que os materiais não contribuem para a deterioração ambiental do país.

Esta é a VF Corporation, empresa controladora de marcas como Timberland, Vans, The North Face ou Kipling, que mudou o que seria para a mídia brasileira. o primeiro golpe na economia do país por causa dos incêndios que assolam o discurso anti-ambientalista da Amazônia e de Bolsonaro.

Segundo dados do Centro de Indústrias Curtidas do Brasil (CICB), que reúne empresas brasileiras de produção de couro, esse setor exporta mais de 80% de sua produção, gerando 2 bilhões de dólares por ano em vendas. Pelo que é medido, isso afetaria de maneira importante.

Como a empresa explicou em um comunicado à imprensa: “A VF Corporation e suas marcas decidiram não continuam fornecendo couro e curtidos diretamente do Brasil para nossos negócios internacionais até termos certeza de que os materiais utilizados em nossos produtos não contribuem para prejudicar o meio ambiente no país ”.

Embora não se sabe quando essa medida se tornaria eficaz. Em outra declaração emitida por José Fernando Bello, presidente executivo do CICB, é dito que o bloqueio "não se concretizou no momento" e que "os suprimentos e as exportações continuam normalmente".