Livros e literatura

Há uma cidade com mais livros do que habitantes: é chamada Mundal, está na Noruega e é o sonho de qualquer bibliófilo.

Mundal é uma cidade tranquila no centro de Fjærland, oeste da Noruega, tão ideal que parece uma história. Não só é encontrado entre os fiordes, mas seu charme está em ser chamado “A cidade norueguesa do livro”. E apesar de ter uma população de 280 pessoas, existem mais de 150.000 livros distribuído entre suas livrarias de segunda mão, suas ruas e qualquer canto da cidade.

A cidade norueguesa do livro

Desde 1995, “A cidade norueguesa do livro” Ele encheu todos os cantos de suas ruas e lugares com livros. Cabines telefônicas, cafeterias, prateleiras externas, prédios abandonados, pontos de ônibus ... Qualquer lugar é bom para deixar um livro. A maioria é de segunda mão, o que traz uma magia especial às ruas, cheia de volumes desatualizados e que viram centenas de olhos antes da sua chegada.

O Cidade do livro norueguesa em Fjærland não apenas procura cuidar dos livros e dar-lhes uma vida fora das prateleiras, onde eles podem ler suas histórias repetidas vezes, eles também preservam edifícios antigos; portanto, entre suas ruas, você encontrará edifícios tão bonitos quanto o Hotel Mundal (ele tem apenas dois hotéis). ) Também possui pequenas lojas especializadas, uma loja de artesanato, duas enormes livrarias que vendem apenas livros em segunda mão: Straumsvågs Antikvariat e Den norske bokbyen.

Feira do Livro do Solstício

A grande maioria do turismo combina sua viagem com o Feira do Solstício de Livro, onde as ruas estão cheias de prateleiras, o porto se torna um mercado (também cheio de livros, é claro) e a cidade está mais viva do que nunca. A feira, que É comemorado de meados de maio a junho, é a desculpa perfeita para a próxima primavera visitar a Noruega e sua maravilhosa "cidade do livro".

O remédio literário contra o desaparecimento de um povo

A primeira pessoa que começou com a iniciativa "cidades do livro" foi Richard Booth, que decidiu preencher o cinema abandonado em sua cidade natal, Hay-on-Wye no País de Gales, com milhares de livros em segunda mão no início dos anos sessenta.

Desde então, todo espaço vazio foi preenchido com livros, atraindo bibliófilos de todo o mundo e favorecendo o surgimento de lojas relacionadas à literatura. A cidade, que não estava passando por um bom momento e parecia prestes a morrer, recebeu uma nova oportunidade graças a se tornar a primeira cidade dos livros.

Hoje, o Hay-on-Wye possui mais de vinte livrarias, patrocina um festival literário, o Hay Festival, e milhares e milhares de livros se alinham em suas “prateleiras de honestidade” ao ar livre.

Atualmente, existem cidades de livros em todo o mundo, como Hay-on-Wye, no País de Gales, ou Mundal, na Noruega, que, além de preciosas, são as lugares ideais para passar horas lendo em qualquer canto da cidade.

Foto | Instagram @ jenniekate13, Facebook @bokbyen, Flicker