Com apoio do BNDES, governo brasileiro vai financiar países que comprem produtos e soluções da indústria nacional de defesa

  • anúncio foi feito pelo ministro da Defesa Raul Jungmann durante a LAAD Defence & Security 2017, que acontece no Riocentro, Rio de Janeiro
  • “O financiamento de governo a governo é extremamente estratégico neste setor. Não faz sentido, por exemplo, uma empresa privada comprar uma corveta”, destaca
  • Visitação recorde marca primeiro dia do mais importante evento do setor de defesa e segurança da América Latina. Entre os visitantes, a feira recebeu o presidente da República do Brasil, Michel Temer

O governo brasileiro vai abrir, com apoio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), uma linha internacional de financiamento para países que tenham interesse em comprar produtos e soluções da indústria nacional de defesa. O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa Raul Jungmann neste primeiro dia de LAAD Defence & Security 2017, maior e mais importante feira de defesa e segurança da América Latina, que acontece no Riocentro, Rio de Janeiro. “Nosso objetivo, com isso, é o de consolidar uma política de estado para fortalecer a base industrial do segmento. Precisamos ousar e buscar novos mercados para gerar empregos”, salienta.

Esta indústria da Defesa e Segurança representa, atualmente, 3,7 % do PIB, movimentando cerca de R$ 200 bilhões anualmente, e gera 30 mil empregos diretos e 120 mil indiretos no Brasil. “O financiamento de governo a governo é extremamente estratégico neste setor. Não faz sentido, por exemplo, uma empresa privada comprar uma corveta. Além disso, proporciona impactos positivos para o país pois a base industrial da defesa tem o que chamamos de transbordamento, ou seja, a tecnologia obtida no meio militar se espraia para outras cadeias da economia”, observa o ministro.

Jungmann aproveitou o evento, ainda, para anunciar a criação de um grupo dentro da Secretaria-Executiva da Camex (Câmara de Comércio Exterior) dedicado aos negócios da indústria da Defesa. “É uma iniciativa conjunta com o Ministério das Relações Exteriores que vai promover ações coordenadas de exportação de produtos e soluções do setor para fortalecer a relevância geopolítica do país”.

Sisfron — O ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Sergio Westphalen Etchegoyen, revelou a intenção do governo de compartilhar o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras) com países que fazem fronteira com o Brasil. Ele destacou, durante participação na LAAD 2017, que já está em negociação com o governo argentino o início de um processo de monitoramento modulado das fronteiras.

“Vamos dividir custos, operações e resultados. O compartilhamento é um meio eficaz para combater o crime. O Sisfron é um sistema de alta tecnologia, com elevadíssimo grau de nacionalidade: 80% é solução nacional”, explicou Etchegoyen. O processo de compartilhamento está sendo desenvolvido em conjunto com o Ministério das Relações Exteriores.

LEIA NA INTEGRA
Assessoria de Imprensa – LAAD Defence & Security 2017